A PESCA NO JAPÃO, SUA HISTÓRIA E DESENVOLVIMENTO

O Japão é um país composto por quatro grandes ilhas grandes e milhares de outras pequenas, com terrenos vulcânico e montanhoso e clima de fortes chuvas e tufões, que dificultavam a criação de gado e de outros animais de grande porte.

Deste modo, o povo japonês viveu muito tempo com escassez de nutrientes, tendo como sua principal fonte de alimentação os peixes e frutos do mar, desenvolvendo técnicas de pescaria somadas a caça desde os primórdios da civilização oriental.

No século 3 a.C. (período Yauoi), os japoneses aprenderam com o povo coreano a técnica de cultivo do arroz, o que complementou sua alimentação como base de carboidrato.

O cultivo do arroz propiciou também a criação dos porcos e galinhas que necessitavam de pouco espaço e também eram alimentados com os restos de arroz, melhorando ainda mais alimentação dos japoneses.

No entanto, por volta do ano 600 d.C. o imperador Temmu proibiu, sob pena de morte, o consumo de carne de porco, galinha, cavalo ou boi, sendo apenas autorizado o consumo de carne de javali. Com o desenvolvimento do Budismo esse decreto tomou força e se prolongou até meados do século XVI com a chegada dos portugueses.

Assim, a pesca no Japão foi essencial para a sobrevivência deste povo milenar, que criou diversas técnicas de pescaria e desenvolveu outras tantas, em busca de alimentos e também de lazer, tendo mais experiência do que qualquer outro povo, nesta atividade, pois tratava-se de se alimentar! Alimentar suas famílias. Precisavam pescar em todas as épocas do ano. O peixe não podia faltar.

Enquanto os homens pescavam, as mulheres colhiam mariscos nas pedras a beira mar. Mais tarde, os homens, impressionados com a quantidade de mariscos que suas esposas e filhas coletavam, começaram a leva-las para as pescarias em alto mar, sugindo ai as “Ama-San” que mergulhavam em aguas profundas e sem equipamentos em busca de mais alimentos e hoje são respeitadas coletoras de pérolas na cidade de Toba.

 

Hoje  é em Toquio, capital do Japão, onde você encontra os melhores restaurantes do mundo. Toquio é a capital recordista em estrelas Michelin e ainda mantem como base alimentar o arroz (Gohan) o peixe e os frutos do mar. A edição 2019 do Guia Michelin concedeu estrelas para 230 restaurantes em Toquio, sendo 13 três estrelas (a nota mais alta), 52 duas estrelas e 165 contemplados com uma estrela.

Encontramos em Toquio e em todo Japão, restaurantes internacionais onde podemos escolher a vontade e com abundancia o que desejamos comer, mas ainda é o arroz e o pescado a base da alimentação das famílias japonesas e os restaurantes tradicionais japoneses sabem prepara-los como ninguém.

Essa maestria da cozinha japonesa soma-se a todo cuidado e respeito que o povo japones teve a ainda tem pela pesca, pelo peixe e pelo mar, com plena consciência da sua importância na existência de seu povo.

A indústria de artigos de pesca é muito desenvolvida e investe-se muito em pesquisas de materiais e desenvolvimento de iscas e equipamentos. Engenheiros e artesões trabalham juntos nestas criações e as marcas mais consagradas ainda trabalham com produção artesanal, como é o caso da Fisherman, Carpenter, Hammer Head, Seven Seas, entre outras.

 

No Japão o peixe que não será consumido fresco é sempre devolvido ao mar pelo pescador esportivo, que tem plena consciência da necessidade de preservação das espécies como preservação de seu próprio povo e cultura alimentar. Existem também cotas e leis rígidas sobre quais peixes podem ser pescados em cada época do ano, garantindo sempre a abundancia de todas as espécies.

O pescador esportivo japonês também respeita o peixe que irá alimentar a sua família. Assim que o peixe é capturado, primeiramente verifica-se se não se trata de pesca proibida, descartam-se os pequenos e as matrizes e então o peixe escolhido é morto rapidamente pelo sistema Ikijime, com morte rápida e sem estresse, tornando a carne mais macia e saborosa.

No Brasil, a Everquest Sports, importadora e distribuidora de produtos de pesca esportiva fundada por Diogo Yamada, e situado em São Paulo, representa varias marcas de pesca esportiva japoneses e oferece workshops buscando difundir o conhecimento e técnicas de seus conterraneos.

Deixe um comentário

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados