Yokohana Fishing Show 2020

 

Yokohama Fishing Show é a primeira feira internacional de pesca, que abre o calendário no Japão. Acontece todos os anos, na segunda quinzena do mês, no Pacífico Yokohama Exhibition, localizado na grande e prospera cidade de Yokohama, província de Kanagawa.

 

Neste ano o evento reuniu cerca de 172 exibidores e 41401 visitantes entre os dias 17 e 19 de janeiro. Diogo Yamada, Ceo da The Fisherman’s Hut e da Everquest Sports, estava lá, conferindo o que existe de mais novo e moderno no mercado de pesca esportiva e nos conta um pouco desta incrível experiencia que vêm se repetindo para ele todos os anos na última década.

As viagens para o Japão já são para o Diogo algo comum e rotineiro. São várias as viagens para o Japão todos os anos, onde ele participa ou visita as maiores feiras de pesca a aproveita para se reunir com fornecedores e também visitar familiares e amigos, muitos conhecidos da época em que morou no Japão, quando ainda era adolescente.

A primeira viagem que o Diogo faz para o Japão todos os anos é para a YOKOHAMA FISHING SHOW. Ele não perdeu uma edição sequer nos últimos dez anos.

 

Yokohama Fishing Show acontece no Pacífico Yokohama Ehxibition, espaço amplo o suficiente para receber milhares de pessoas sem criar tumulto ou grandes aglomerações.


Pacífico Yokohama Ehxibition fica a exatos 50 minutos de trem de Toquio (sim, nem um minuto a mais ou a menos! Os japoneses levam muito a sério os horários e compromissos e assim são os trens também). Yokohama é a segunda maior cidade do Japão em termos de população e o município mais populoso, tendo mais de 3.700.000 habitantes e é um dos principais portos do país. Assim, além da feira, que você precisará dos três dias inteiros de visita para ver tudo o que ela oferece, ainda poderá passear pela cidade, que é rica em restaurantes, lojas de grifes internacionais, parques e templos.

Neste ano, assim que Diogo chegou em Yokohama iniciou as reuniões já marcadas com antecedência com alguns fornecedores, entre eles os parceiros de anos das renomadas marcas Smith Japan, Meiho, Katsuichi Decoy, Varivas, Deep Liner, Studio Ocean Mark, Sea Floor Control entre outros. Nestes encontros o Diogo tem chance de conversar e obter informações sobre o desenvolvimento do mercado de pesca esportiva e de novos produtos bem como de fazer os seus pedidos de importação diretamente com os designers responsáveis por cada marca, negociando cores e produtos exclusivos para  a Everquest Sports, no Brasil.

Cada detalhe, de cada produto, é minuciosamente estudado de acordo com a necessidade de cada região e tipo de pesca. Diogo precisa estar sempre informado sobre o que os seus clientes procuram e busca atender a todos com a melhor qualidade de produtos.

No segundo dia, algumas visitas a stands específicos, para conhecer novos produtos e fornecedores indicados, que estejam se destacando no mercado pela qualidade e inovação. Esse dia é muito especial e cheio de surpresas – “cada marca é forte em um segmento.
Eu preciso conhecer o que cada uma tem de melhor. Busco principalmente as novidades para as modalidades de casting, jigging e pesca com iscas artificiais em geral. Black bass, finesse fishing é algo que venho me interessando muito nestes últimos tempos.”


Os novos modelos de molinetes da Shimano Stella, em especial a Stella 18.000 chamaram muito a atenção, com stand cheio e impressionando a todos. Essa obra prima da Shimano foi desenvolvida para big game fishing, com todas as tecnologias desenvolvidas pela Shimano em um único produto.


Outra marca que impressionou muito bem foi a nova Crazee Fishing. Diogo Yamada se impressionou com a qualidade dos produtos aliada ao preço, acessível para o pescador que está iniciando na modalidade da pesca vertical.

Apesar da Crazee ser uma marca ainda jovem no mercado asiático, foi criada pelos mesmos desenvolvedores da famosa Tailwalk Japan. Assim alia qualidade e experiencia a preços baixos, sendo a melhor opção para quem está inciando na modalidade de pesca vertical, deseja produtos de qualidade, mas sem precisar investir valores tão altos.

Os jigs da Crazee foram um assunto a parte! Cores incríveis, em diversos pesos e tamanhos.

A marca Hayabusa foi outra que também apresentou muitas novidades. Jigs super eficientes, com novos acabamentos e cores, com grafismos japoneses inconfundíveis e padrão excelente de acabamento.


Diogo Yamada, como filho de japoneses, se encantou com os óculos de pesca polarizados Asian Fits da Smith Optics, perfeitos para o rosto dos asiáticos e tão dificilmente encontrados em outras partes do mundo.


Itens de segurança, indispensáveis em uma pescaria, deram um show à parte, como os coletes salva vidas, confortáveis e auto-infláveis, as roupas ultra técnicas e confortáveis para a pesca entre tantas outras novidades.
No terceiro e último dia, Diogo foi passear, sem roteiro pre-definido, pelos corredores da Yokohama Fishing Show.

Assim que entram no espaço da feira, os visitantes são informados sobre identificação de produtos falsificados e como evitá-los.

É impressionante a quantidade de produtos falsos vendidos no mercado no mundo todo, por preços alguma vezes muito mais baixos e que tanto prejudicam os consumidores que, enganados creem estar fazendo boas compras.

 

 Grandes marcas, que trabalham com pesquisas de qualidade, engenheiros e técnicos para o desenvolvimento de seus produtos são as mais copiadas. Cores e designe as vezes tão iguais que podem confundir os mais experientes, levam na sua produção, materiais de baixa qualidade.


Seguindo o passeio, o visitante tem a chance de conhecer e conversar com desenvolvedores de marcas e stafs (muitos falam inglês), podem se inscrever para diversos workshops (infelizmente todos na língua japonesa) e se divertem com apresentações inusitadas de produtos, simulações de pescas, tecnologias novas, acessórias para embarcações, e sorteios.

Ponto forte da feira é a área de alimentação! Sim, dentro da feira você encontra várias barracas de alimentação com qualidade e variedade. Perfeito para quem quer iniciar a maravilhosa aventura gastronômica japonesa. Assim Diogo Yamada terminou o seu último dia na Yokohama Fishing Show antes de pegar o trem de volta a Tokyo.

 

Por fim, Diogo nunca volta para os Estados Unidos sem visitar o Templo Tsubaki Jinga, próximo a cidade de Suzuka, província de Mie Ken, com sentimento de muita gratidão.

1 comentário

  • Diogo gostei da sua explanação, porque vc não organiza grupos para participarem da feira

    Carlos toshiharo watanabe

Deixe um comentário

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados